in

Ministério da Economia divulga previsão de melhora para esse ano

Em meio a uma realidade de pandemia devido ao Covid-19 e uma consequente recessão econômica global, o Brasil segue buscando alternativas e analisando as possibilidades de fechar o ano de 2020 com a maior redução de danos possível, considerando todas as dificuldades para tal.

Sabendo disso, o Ministério da Economia havia determinado uma expectativa de queda da economia nesse período anual, informação que é possível extrair dos dados anunciados por meio do boletim MacroFiscal produzido pela Secretaria de Política Econômica.

Entretanto, o mais recente boletim, divulgado nessa terça-feira (17/11), apontou uma queda na previsão de recuo do Produto Interno Bruto (PIB). Enquanto a respectiva projeção estava em 4,7% para o mês de setembro, o atual índice é de 4,5%, representando queda de 0,2% no período.

Governo justifica a melhora da previsão com dados sobre a economia nacional

O governo nacional entendeu que, como explicação dessa leve diminuição da expectativa de queda do PIB brasileiro, tem-se como pilares a recuperação da indústria e do varejo.

Conforme apontam pesquisas mensais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve significativa melhora nesses setores, representadas por um crescimento de 20% para o terceiro trimestre de 2020, recuperando assim o padrão apresentado no início do ano.

Ainda, notou-se uma retomada no setor de serviços que, mesmo ainda sendo considerado muito abaixo do que estava em um momento anterior ao começo da pandemia do Covid-19, também apresentou melhora em relação aos níveis preocupantes do segundo trimestre.

Previsão de inflação também é estatística a ser analisada

Dentro desse contexto, é importante frisar o aumento da projeção de taxa da inflação, que subiu de 1,83% para 3,13% de setembro para os termos atuais.

O governo entende que a evolução do índice oficial de inflação (IPCA) se deu em razão do considerável aumento dos preços dos alimentos, sendo esse o grande responsável pela instabilidade do referido valor.

Porém, as expectativas são de que o índice inflacionário não vá além do limite de tolerância, tendo em vista que o restante das categorias de produtos tende a impedir o grande avanço decorrente do preço dos alimentos.